O papel do setor financeiro na economia verde
Olhar para os negócios sob o foco sustentável permite melhor gestão do risco, socioambiental e de operações de crédito 20/09/2012 07:15
» Jean Benevides, CEF

Em entrevista exclusiva ao Portal Crédito e Cobrança, Jean Benevides, gerente geral de Meio Ambiente da Caixa Econômica Federal fala sobre o importante papel do setor financeiro na transição para uma economia mais verde. Acompanhe.

Como as empresas devem entender o crédito sustentável?
Crédito Sustentável pode ser compreendido como o portfólio de produtos financeiros voltados para atividades sustentáveis ou que tenham adicionais socioambientais em sua concepção. O crédito sustentável é um dos principais instrumentos para fomentar a economia verde, à medida que privilegia atividades menos agressivas ao meio ambiente, mais socialmente inclusivas e que gerem empregos verdes.

De que forma a Caixa Econômica foca suas ações sustentáveis?
Temos como missão atuar na promoção da cidadania e do desenvolvimento sustentável do País, como instituição financeira, agente de políticas públicas e parceira estratégica do Estado Brasileiro. Assim, a sustentabilidade é considerada no planejamento estratégico da empresa, sendo pano de fundo para o desenvolvimento de suas atividades. Com relação ao crédito, a Caixa adota critérios de sustentabilidade para analisar a regularidade socioambiental de clientes e de projetos de investimentos.

E, quais são os resultados imediatos dessa ótica sustentável?
Entendemos que o olhar para os negócios sob o foco da sustentabilidade permite que tenhamos uma melhor gestão do risco, socioambiental, em nossas operações de crédito e, também, amplia as oportunidades de negócios que surgem nessa nova ótica da economia verde e inclusiva.

A questão da sustentabilidade pesa no momento de negociar com os clientes? Qual sua relevância?
Sim, tem um papel fundamental, pois, conhecendo melhor as práticas dos nossos clientes é possível ter uma melhor gestão do risco, além de representar uma oportunidade para novos negócios financiando soluções que auxiliem o cliente a melhorar seu processo produtivo e de gestão visando a sustentabilidade.

Colocar a sustentabilidade como uma das frentes de negociação interfere no volume de clientes? Estimula a adesão de novos clientes, por exemplo?
Entendemos que nesse processo pode haver a perda de clientes, que não atendem questões ambientais básicas e não tem regularidade ambiental. Por outro lado, essa nova relação pode atrair novos clientes para financiar projetos e atividades mais sustentáveis.

Conceder crédito para uma determinada empresa que tenha compromisso com o meio ambiente diminui as chances de inadimplência, ou um fato não influencia o outro?
Sim, pois esse compromisso ambiental do cliente garante a sua regularidade, impedindo que sofra sanções de órgãos fiscalizadores, tais como, órgão ambiental ou Ministério Público; e consequentemente comprometam sua capacidade de pagamento.

Como o senhor vê o futuro das negociações de concessão de crédito e cobrança em um mundo cada vez mais sustentável?
Entendemos que essa nova economia verde e inclusiva, estará cada vez mais presente nas relações comerciais. O crédito ficará mais restrito para clientes que não tenham boas práticas ambientais e, por outro lado, os clientes e projetos que tenha incorporados práticas ambientais que atendam as exigências legais e as novas demandas da sociedade civil, provavelmente, terão mais facilidade de acesso ao crédito. A Caixa entende o papel fundamental do setor financeiro na transição para uma economia mais verde. Nesse sentido, tem trabalhado para aprimorar os critérios na concessão de crédito e o seu portfólio de produtos socioambientais.

Matérias Relacionadas

Compartilhe

Twitter Facebook Linkedin
Mais Lidas
  • TVip »
Total de vídeos: »
http://www.portalcreditoecobranca.com.br