Prática abusiva!
Envio de cartão de crédito sem solicitação pode gerar indenização por danos morais, diz STJ 23/05/2013 03:46
» Tiago Magalhães Costa
O envio do cartão de crédito, ainda que bloqueado, sem pedido prévio e expresso do consumidor, caracteriza prática comercial abusiva e autoriza a indenização por danos morais.  A decisão é do Superior Tribunal de Justiça que julgou procedente recurso do Ministério Público de São Paulo contra uma administradora de cartão de crédito, que havia vencido no TJSP. Com o provimento do recurso, foi restabelecida sentença da justiça paulista que havia condenado a administradora a se abster dessa prática e a indenizar os consumidores por danos morais, além de reparar eventuais prejuízos materiais.

O Art. 39 do Código de Defesa do Consumidor dispõe que é  vedado ao fornecedor de produtos ou serviços, dentre outras práticas abusivas: (Redação dada pela Lei nº 8.884, de 11.6.1994) III - enviar ou entregar ao consumidor, sem solicitação prévia, qualquer produto, ou fornecer qualquer serviço. "O consumidor é lesado a todo instante e de diferentes maneiras. O dano moral é aquele que traz como consequência ofensa à honra, ao afeto, à liberdade, à profissão, ao respeito, à psique, à saúde, ao nome, ao crédito, ao bem estar e à vida, sem necessidade de ocorrência de prejuízo econômico", explica o advogado Tiago Magalhães Costa, membro da Comissão de Direito Constitucional e Legislação da Ordem dos Advogados do Brasil - Seção de Goiás, especialista em Direito Civil e Direito Processual Civil.

Em primeira instância, a justiça entendeu que a prática de envio de cartão de crédito sem consentimento do devedor é considerado prática abusiva. O banco apelou da sentença. Já o Tribunal de Justiça de São Paulo, TJ-SP, por maioria, proveu a apelação por entender que o simples envio de cartão de crédito bloqueado não configuraria prática vedada pelo ordenamento jurídico, constituindo mera oferta de serviço sem qualquer dano ou prejuízo patrimonial.

Segundo Costa, os clientes estão à mercê dos Bancos, e devem ficar atentos. "Lidamos com gigantes que ferem as condutas contrárias ao que pensamos. Os bancos consomem de todas as maneiras, seja na cobrança de taxas exorbitantes, anuidades e  envio de cartões que chegam a nossas residências sem que sejam solicitados. O consumidor deve observar os dizeres das correspondências enviadas por agências, entre outras, e caso o cartão chegue desbloqueado sem que haja solicitação do cliente, o responsável pelo envio poderá ser processado tendo como fundamento, o Código de Defesa do Consumidor, Lei nº 8.078, de 11 de setembro de 1990"conclui.

Matérias Relacionadas

Compartilhe

Twitter Facebook Linkedin
Mais Lidas
As mudanças precisam ser radicais
Marco Lupi
Neobpo
exibições: 207
00:09:00
O spin off da Tivit de olho nas novas oportunidades
Marco Lupi
Neobpo
exibições: 144
00:05:51
Total de vídeos: » 1.046
http://www.portalcreditoecobranca.com.br